Filho favorito existe, mas isso não é sinônimo de falta de amor; entenda...

Ter ou não um filho favorito geralmente é um tabu em qualquer família. Os filhos costumam dizer que sim, existe um favorito (e geralmente ele é sempre o irmão), enquanto os pais pacientemente repetem que todos são tratados iguais (mesmo quando isso não é verdade —o que é bastante comum).


O favoritismo de um ou outro filho é um tema sempre delicado e que envolve, muitas vezes, mágoas acumuladas de anos de convivência. "As relações familiares podem ser bastante difíceis pois envolvem não só momentos de afeto, mas de ruptura também", explica Dorli Kamkhagi, psicóloga clínica e coordenadora de Grupos da Maturidade do IPq (Instituto de Psiquiatria) da FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). O filho mais velho que recebe outro mais novo, por exemplo, vai sentir ciúme da atenção que perdeu, enquanto o mais novo vai exigir a atenção que necessita. É uma adaptação que pode ser difícil para todos.


Veja mais.


12 visualizações